[01/17] COMO FAZER O CÁLCULO DE FRETES SEM PERDER DINHEIRO

Como fazer o cálculo de fretes corretamenteA primeira coisa que você precisa saber sobre cálculo de fretes é: não importa se o mercado está em baixa e a concorrência está alta, se você não sabe exatamente quanto custa manter a sua frota na estrada, você corre sérios riscos de quebrar a sua transportadora.

Nós dois sabemos que a crise está aí, e você acaba muitas vezes se sujeitando a pegar fretes por valores que antes não aceitaria. O problema é que, talvez você pense que estes fretes estão dando ao menos um pouco de lucro, mas e se você descobrir que, na verdade, você está no prejuízo?

estratégia correta que você deve utilizar é a de atender da melhor forma possível os seus clientes, mas para isso você precisa, em primeiro lugar, ter algum lucro com a operação.

Portanto, continue lendo este artigo, o primeiro da série, para saber mais sobre:

  • Quando o seu posicionamento em preços será bem-sucedido?
  • Para que serve o cálculo de fretes?
  • O que você precisa para fazer o cálculo de fretes?
  • Como fazer o cálculo de fretes?
  • Quais tópicos do cálculo de fretes são mais importantes?

Saiba quando o seu posicionamento em preços será bem-sucedido

Você terá um posicionamento em preços bem-sucedido quando você tiver certeza de que cada custo que você tem no negócio foi pensando na hora de fazer o cálculo de fretes. Fazer o cálculo de fretes não é algo fácil, porque envolve uma série de variáveis, que muitas vezes a gente esquece de incluir no preço final.

Foi pensando nisso que resolvi trazer para você, não apenas este texto, mas uma série de 17 artigos, dissecando o assunto para que você não fique com mais nenhuma dúvida sobre o tema.

Saiba para que serve o cálculo de fretes

Imagine que um colega seu resolve comprar um caminhão, imagine agora que ele não sabe exatamente todos os custos referentes à atividade de transporte rodoviário de cargas.

Por não conhecer muito do assunto, talvez ele pense primeiramente nos seguintes custos:

  • combustíveis, como o diesel por exemplo;
  • manutenção do veículo;
  • desgaste dos pneus;
  • lavagem e lubrificação.

Olhando apenas para as contas citadas acima, ele começa a fazer seus cálculos, e de repente chega num valor de frete, e começa a cobrar por esse valor.

O problema é que as contas que citei acima representam apenas alguns dos componentes do frete-peso, que é a cobrança por peso da mercadoria transportada.

Porém, existem diversos outros custos a serem embutidos no valor do frete, como o frete-valor (ad valorem), gerenciamento de risco (GRIS) e outras taxas, chamadas de generalidades.

Além de tudo isso, é fundamental você embutir o seu lucro, que é o maior motivo de você realizar os fretes.

Por ser uma atividade complexa, que envolve muitas variáveis, é fundamental que você faça o cálculo de fretes, pois assim você garante que está cobrando o preço correto.

O que você precisa saber para calcular o frete de transportadoras

Para que serve o cálculo de fretes?O cálculo de fretes correto leva em consideração algumas variáveis ligadas à carga. Conheça cada uma delas nos próximos tópicos e saiba como chegar a um valor justo na cobrança.

Cubagem

Saber o volume da carga que você vai transportar é muito importante porque existem situações onde a carga é muito volumosa, como colchões por exemplo, e o risco de você perder dinheiro cobrando apenas por peso é grande.

Peso das mercadorias

É o peso da carga que define o quanto seu caminhão vai gastar de combustível, além de implicar em manutenção, desgaste dos pneus e outros fatores, por isso a regra de mercado é cobrar o frete por quilo transportado.

Distância entre a coleta e a entrega

Você precisa saber exatamente onde vai fazer a coleta e onde vai fazer a entrega da mercadoria, pois isso vai definir os seus custos operacionais da viagem. Além disso, é muito importante saber se haverá mais de um ponto de coleta e entrega.

Valor da carga na nota fiscal

A principal função de saber o valor da nota fiscal é medir o risco que você vai correr ao fazer o transporte, pois é necessário que você faça o seguro desta carga. Preste atenção em situações de “meia nota”, prática ilegal de alguns embarcadores para pagar menos impostos.

Generalidades

Transporte rodoviário não é uma atividade simples, e muitas vezes você pode se deparar com custos não previstos, por isso é importante conhecer detalhes da viagem para saber se precisará cobrar por taxas como:

  • TDE: Taxa de Dificuldade de Entrega;
  • TRT: Taxa de Restrição de Trânsito.

Existe uma série de outras generalidades que você verá em um artigo da série mais para frente.

Como fazer o cálculo de fretes

De nada adianta você procurar ter caminhões novos, treinar a sua equipe e prestar o melhor serviço, se o preço que você está cobrando não consegue pagar totalmente a conta. Por isso, existem diversas formas que você pode utilizar para fazer o cálculo de fretes, desde uma simples calculadora até programas no computador, ou diretamente na internet.

Eu diria que todas elas são válidas, desde que você saiba exatamente o que está sendo calculado.

Nos dias de hoje, com a crise que vivemos, não dá para cobrar um valor que sequer pague as suas despesas, mas também não dá para simplesmente jogar um número, só porque você imagina que essa é a média de mercado.

Você precisa conhecer a essência dos seus custos, ter a noção exata de quanto pode cobrar por cada frete seu.

Agindo dessa forma, eu garanto que você conseguirá um preço competitivo no mercado ou, na pior das hipóteses, você saberá com detalhes por que não pode continuar da forma como está.

Porém, além disso, você precisa considerar alguns pontos fundamentais. Nos tópicos a seguir, explicarei melhor cada um deles. Vamos lá?

Tipos de contratação de frete

A contratação de frete acontece, geralmente, de algumas formas distintas. Tudo depende da necessidade do contratante e o volume das cargas que serão transportadas. Entenda melhor a seguir.

Normal

Quando falamos em uma modalidade “normal” de transporte de cargas, estamos nos referindo a um contrato em que a transportadora realiza a coleta no remetente e entrega diretamente no endereço do destinatário. É a operação mais comum e ajuda a entender melhor como todas as outras funcionam.

Nesse modelo, deve-se aplicar os impostos relacionados ao regime tributário da empresa ou de acordo com a legislação estadual.

Subcontratação

Nesse caso, a transportadora opta por não fornecer os serviços utilizando os próprios recursos para realizar a entrega. Nesse caso, ela contrata uma transportadora para executar o trabalho, o que é uma excelente estratégia para expandir a área de atuação e garantir uma entrega dentro do prazo.

Redespacho

Apesar de ser parecida com a subcontratação, essa prática tem algumas particularidades que precisam ser observadas. Para que se entenda melhor, vamos supor uma rota do ponto A até o ponto C.

Na subcontratação, apenas a transportadora subcontratada é responsável por todo o percurso. Já no redespacho, a transportadora principal faz o transporte de A até B e contrata uma parceira, que fará o percurso de B até C — no caso, o redespacho é referente a essa segunda etapa no processo.

Redespacho intermediário

O redespacho intermediário se parece com o “normal”. Porém, aqui, a transportadora não consegue (ou não deseja) coletar a carga na origem e entregar no destino. Por isso, o trabalho é passado para outras transportadoras.

Powered by Rock Convert

Para entender melhor o funcionamento dessa operação na prática, vamos supor um trajeto que vai do ponto A ao ponto D. Um dos parceiros de negócio fica responsável por levar as mercadorias do ponto A ao B. Posteriormente, a transportadora principal faz o percurso do ponto B até o C e, por fim, outro parceiro finaliza o serviço levando os itens de C até D (chegando no destino).

Tipos de carga

O que você precisa para fazer o cálculo de fretes?Os tipos de carga também influenciam a forma como as transportadoras posicionam suas operações. Nos tópicos a seguir, explico melhor as duas modalidades.

Lotação

Nas cargas lotação, o embarcador (dono da mercadoria) contrata uma transportadora para levar uma carga que vai lotar (ou quase) a carroceria do caminhão. Isso significa que, se tratando de uma carreta, o volume ou a quantidade de mercadorias deve ser suficiente para encher o espaço disponível.

Entre os exemplos de carga lotação, podemos citar combustíveis e commodities (milho, soja, entre outros). Porém, além disso, também é muito comum ver casos de transporte lotação na indústria. Se uma empresa de alimentos precisa abastecer o centro de distribuição, por exemplo, é bem provável que a carga será fechada.

Em resumo, nesse caso, o contratante do serviço paga para utilizar todo o espaço disponível dentro do caminhão (mesmo que a carga não seja suficiente para preencher totalmente a capacidade do veículo). Assim, a carga transportada é de um só cliente.

Fracionado

Já no transporte fracionado, o cliente paga por utilizar frações do espaço disponível dentro de um mesmo caminhão. Nesse caso, ao contrário do que ocorre com a carga lotação, são diversas mercadorias de clientes distintos sendo transportadas ao mesmo tempo.

Um bom exemplo de como isso funciona na prática é um caminhão de bebidas que transporta diversos produtos que serão entregues em estabelecimentos distintos, por meio de uma rota predefinida.

Esse tipo de operação é mais complexo, visto que envolve planejamento de expedição, calendarização, um possível agendamento das entregas e um planejamento de rotas bem eficaz (necessário para otimizar os custos operacionais).

Entretanto, vale destacar que uma mesma transportadora pode trabalhar com esses dois modelos de transporte, dependendo do cliente e do tipo de contratação que é realizada.

Taxas e tributos

O cálculo de fretes nunca diz respeito a apenas o valor das mercadorias e a distância percorrida. Sempre existirão taxas e tributos que afetam a precificação e influenciam o preço total que será cobrado. Saiba mais sobre eles.

Ad Valorem

Ad Valorem é uma taxa em percentual cobrada sobre o valor da carga. Ele é cobrado para cobrir os custos do seguro da carga enquanto ela estiver em posse da transportadora. O valor é formado com base em variáveis como o valor e as características das mercadorias, a distância percorrida e o tempo de trânsito (transit time).

GRIS

Já o GRIS é a taxa cobrada com o intuito de cobrir os custos da transportadora em relação às ações voltadas para combate e prevenção ao furto e roubo de cargas. Ele também é cobrado com um percentual (o valor-base é de 0,30% sobre o valor da NF e mínimo de R$ 3 por cada CTe gerado) e está ligado à distância percorrida e ao valor da carga.

Taxa de Restrição ao Trânsito (TRT)

Ela é usada para cobrir os gastos extras que os transportadores têm quando precisam prestar serviços em locais que impõem restrição em relação à circulação de veículos de carga, além da carga e descarga nesses locais. A cobrança é feita sobre um percentual que incide sobre o valor do frete.

Taxa de Dificuldade na Entrega (TDE)

A ideia dessa taxa é ressarcir a transportadora dos custos extras gerados a partir da dificuldade que se tem de finalizar uma entrega em determinados locais. Isso inclui atrasos durante a descarga, exigências específicas do cliente ou dificuldade de acesso até o local.

Ela é negociada diretamente com o contratante e tem uma cobrança que pode variar de R$ 20 (mínimo) até 20% sobre o valor total do frete.

Taxa mínima

É cobrada com o objetivo de ressarcir a transportadora no que diz respeito aos custos de transportar cargas com um peso inferior ao mínimo estipulado. Também chamado de frete mínimo, ele incide quando as mercadorias estão abaixo do estabelecido e o valor depende da transportadora (mas, geralmente, é de R$ 50).

Pedágio

Por fim, o pedágio é repassado para o contratante sempre que a rota planejada passar por esses pontos nas rodovias. No caso das cargas fracionadas, ele é cobrado com base em um rateio entre todas as NFs existentes no veículo. Assim, os clientes pagam um valor justo por essa taxa.

A importância das planilhas

No último artigo da série eu falo em detalhes sobre a planilha de cálculo de frete rodoviário, que você pode adquirir aqui no site Frete com Lucro.

Essa planilha certamente vai facilitar a sua vida, independentemente de você ser dono de uma transportadora ou um caminhoneiro autônomo.

A planilha para transporte lotação

No caso do frete lotação, o que se faz é um embarcador pedir uma cotação e ela é preparada para entregar de acordo com as características passadas pelo contratante. Por exemplo, se é necessário levar uma carga de Curitiba até Fortaleza e ela pesa tem 15 toneladas, a empresa deve passar essas informações para a transportadora fazer o cálculo certo.

Normalmente, estamos falando e alguns milhares de reais (e lotação se faz em longas distâncias). Tem um custo alto e é feito um cálculo que é repassado para o cliente. A planilha de cálculo frete lotação tem dois tipos:

  1. lotação com frota própria;
  2. lotação com frota terceirizada.

A ferramenta serve justamente fazer esse orçamento de maneira mais acertada e repassar a informação correta para o embarcador.

A planilha para transporte fracionado

A planilha de fracionado tem a mesma função, mas a diferença é que os valores são muito menores. Normalmente, o cliente liga e quer uma cotação instantânea, já repassando as informações sobre a carga (distância, volume e peso).

Nesse caso, é importante que se tenha uma tabela preestabelecida em mãos para dizer, baseada em duas variáveis — peso e distância —, quanto vai cobrar. A planilha faz justamente isso dá uma tabela pronta para que você possa, inclusive, imprimir e ter acesso rápido na hora de passar a cotação

Via de regra, as empresas que trabalham com o frete fracionado têm rotas predeterminadas e essa ferramenta funciona muito bem nesses casos — visto que os percursos costumam já ser planejados com antecedência.

Pesquisa sobre o cálculo de fretes

Há alguns dias fiz uma pesquisa sobre o interesse pelo tema, e o resultado você pode ver abaixo.

Pesquisa sobre cálculo de fretes

O mais interessante é observar que o 88,5% dos entrevistados disseram ter dúvidas sobre cálculo de fretes, isso prova o quão difícil é esse tema.

Mesmo sendo difícil, é totalmente possível que você aprenda aqui no Frete com Lucro tudo sobre este cálculo. Não deixe de ver os próximos artigos, principalmente sobre custos variáveis, o assunto mais votado.

Como você pôde ver, calcular o frete de transportadoras é uma tarefa que envolve muitos fatores e precisa ser feita com bastante planejamento, cuidado e atenção, uma vez que qualquer erro pequeno pode se transformar em um grande prejuízo financeiro para o seu negócio.

Este é apenas o primeiro, da série de 17 artigos, que vai mostrar com todos os detalhes como fazer o cálculo de fretes. Em cada publicação, colocados em uma sequência lógica, você ampliará seu conhecimento sobre esse tema, chegando no final como um expert no assunto, e pronto para usar a planilha de cálculo de fretes.

Veja abaixo os próximos artigos:

  • [02/17] – Por que você pode perder dinheiro se não calcular a cubagem?
  • [03/17] – 7 motivos para você considerar a depreciação no seu cálculo de fretes.
  • [04/17] – Por que o custo de oportunidade não pode ficar de fora da sua planilha?
  • [05/17] – Como calcular seu custo fixo por dia?
  • [06/17] – Quais as vantagens de saber o custo variável por km rodado?
  • [07/17] – 7 fatos que talvez você não saiba sobre custo direto.
  • [08/17] – Por que normalmente os autônomos se esquecem do custo indireto?
  • [09/17] – Qual a maneira correta de calcular o Ad Valorem?
  • [10/17] – Qual o percentual correto deve ser utilizado no GRIS?
  • [11/17] – Tabela completa com todas as generalidades cobradas no mercado.
  • [12/17] – Como fazer o cálculo do pedágio usando mais de um formato?
  • [13/17] – A carga tributária que você paga atualmente está correta?
  • [14/17] – Qual margem de lucro devo usar no mercado de transportes?
  • [15/17] – Como colocar corretamente os ingredientes para a formação do preço do frete?
  • [16/17] – Qual é o ponto de equilíbrio de uma viagem?
  • [17/17] – Planilha de frete, que automatiza o processo de cálculo de fretes.

Gostou deste artigo e quer entender melhor como a planilha pode auxiliar você a calcular fretes de forma mais acertada e obter bons resultados financeiros com ela? Então, entre em contato agora mesmo e tire todas as suas dúvidas em relação ao assunto.

Fico à sua disposição!
Ed Trevisan