[02/17] POR QUE VOCÊ PODE PERDER DINHEIRO COM A CUBAGEM? COMO FAZER ESTE CÁLCULO E RECEBER SEMPRE O JUSTO PELO SEU FRETE!

Cubagem

Quando pensamos em cubagem, logo nos vem à cabeça as mercadorias a serem transportadas e seus volumes em metros cúbicos (m³). Mas por que o volume de uma carga é tão importante? Quando eu posso perder dinheiro se não olhar corretamente para a cubagem de carga?

O método para o cálculo de cubagem é, na verdade, muito simples. Contudo, para que você não corra o risco de errar no cálculo por causa do modal de transporte ou utilizar de forma equivocada o resultado do cálculo, vamos tentar lhe explicar, da forma mais completa e didática possível, tudo sobre esse tema.

O fato é que você, ao saber calcular adequadamente a cubagem, poderá usar esse conhecimento a seu favor na hora de negociar um frete.

Nesta série de artigos sobre cálculo de fretes é muito importante que você defina como vai cobrar do seu cliente — se é por peso ou por volume. Para saber isso você precisa conhecer a relação peso x volume da carga que vai transportar. Continue lendo este artigo para saber mais sobre:

  • cálculo fácil de cubagem;
  • quando você deve cobrar o frete por peso;
  • quando cobrar o frete por volume;
  • capacidade em m³ por tipo de veículo.

Entenda o que é cubagem

Palavra relacionada ao cubo, a cubagem é uma lei da física em que o volume de um objeto é constatado por meio da fórmula comprimento x altura x largura. A cubagem indica o volume que uma determinada carga terá dentro do caminhão, exemplificando:

  • se uma caixa tem 5 metros de altura, 3 m de largura e 2 m de comprimento;
  • seguindo a fórmula, temos 2,00 m x 5,00 m x 3 m = 30 m³;
  • dessa maneira, 30 m³ é o volume da mercadoria e a superfície total que ocupará em um caminhão.

O cálculo de cubagem rodoviário, no caso, é usado para determinar a relação de peso da mercadoria embalada com o espaço que preencherá no caminhão. Por isso, é considerado o fator de cubagem, que você verá a seguir, juntamente ao volume e peso cubado.

Fator de cubagem

É outra fórmula para mostrar a relação entre peso e volume de uma carga. O valor é um metro cúbico (1 m³) do espaço da carroceria do caminhão que levará a mercadoria. Cada modal tem cargas e capacidades distintas, sendo o fator base:

  • Aéreo: 166,7 kg;
  • Marítimo: 1.000 kg;
  • Rodoviário: 300 kg.

A cubagem da carga é representada pela fórmula peso kg / volume m³.

Volume

Para saber a capacidade volumétrica de um baú multiplique a altura x largura x profundidade. Por exemplo, 2,0 m x 5,0 m x 7,0 m = 70 m³ que uma mercadoria ocupará de espaço.

Peso cubado

O peso cubado determina o espaço concreto que a carga ocupará dentro do caminhão ou em outro modal. Para fazer seu cálculo é preciso multiplicar o comprimento x largura x altura x fator da cubagem no modal correspondente, como:

  • 90 cm x 50 cm x 30 cm x 300 — transforme estes valores em metros;
  • 0,90 m x 0,50 m x 0,30 m x 300 = 40,5 kg para o transporte rodoviário.

Aqui, considere a importância da cubagem e a interferência para calcular o frete.

O objetivo da cubagem é valorizar o carregamento da carga e sua distribuição de forma planejada para que o preço cobrado seja justo — uma vez que mercadorias pequenas, porém pesadas, comprometem o limite estipulado do peso de um veículo.

Assim, por meio dos cálculos é possível equiparar a capacidade da carga com a disponibilidade da superfície do caminhão, equilibrando peso físico com espaço e evitando desperdício e gastos operacionais.

Ao basear o custo somente na dimensão da carga ou em seu peso, o valor do frete não será o adequado. O peso cubado tem variáveis que devem ser levadas em consideração para fazer a precificação. Logo, diante de uma cotação de frete, as transportadoras devem optar pelo “frete peso”, ou seja, o peso bruto e o cubado, devendo prevalecer o de maior índice.

Calcule a cubagem de carga

Um jeito fácil de explicar o porquê do uso desse cálculo na hora de definir o preço do frete é mexer com o seu bolso. Imagine que você tenha um caminhão baú trucado, com capacidade para transportar 14 toneladas. As medidas do seu baú são:

  • Altura: 2,50
  • Largura: 2,50
  • Profundidade: 7,50

Ou seja, o seu baú tem uma capacidade de 46,87 m³.

Agora, imagine que exista uma carga de fogão para transportar. São 100 fogões, totalizando 43 m³, ou seja, lotando o seu caminhão. Cada fogão pesa 45 kg, totalizando 4,5 toneladas para os 100 fogões.

Se o seu caminhão tem capacidade para 14 toneladas, você acha certo encher o seu caminhão e cobrar por apenas 4,5 toneladas? É para isso que serve a cubagem, pois, por meio do cálculo é que poderá redimensionar o peso ideal a ser cobrado.

Veja como funciona:

Passo #1

Vamos descobrir quantos kg por m³ esse caminhão pode transportar:

  • 14.000 kg de capacidade ÷ 46,87 m³ de espaço = 298,7 kg por m³.

Passo #2

Vamos medir qual é o volume de cada fogão:

  • 0,808 cm largura x 0,775 cm altura x 0,69 cm profundidade = 0,432078 m³.

Passo #3

Multiplicaremos, agora, o volume de cada fogão pela quantidade a ser transportada:

  • 0,432078 m³ x 100 fogões = 43,2 m³.

Passo #4

Agora vamos multiplicar o passo #1 pelo passo #3 para sabermos o peso cubado:

Powered by Rock Convert
  • 298,7 kg x 43.2 m³ = 12.903,84 kg.

Isso significa que esse volume a ser transportado conseguiria levar 12.903,84 kg nesse caminhão. Então, é justo que você cobre pelo peso cubado, e não pelo peso original (4.500 kg).

Saiba usar o peso cubado

Eu acredito que você já tenha entendido, mas nós vamos reforçar aqui: o cálculo do peso cubado só vale a pena em cargas volumosas, que normalmente ocuparão um grande espaço do veículo de transporte e pesar pouco.

Quando alguém faz aquela brincadeira — “O que pesa mais? Um kg de algodão ou um kg de ouro”? — É claro que ambos pesam a mesma coisa, mas o algodão terá um volume muito maior que o ouro.

Você pode fazer o cálculo para qualquer carga que pretende transportar, entretanto, com o tempo você vai perceber que a maioria das cargas terão o peso original maior que o peso cubado.

Para facilitar a sua percepção sobre cargas volumosas, listaremos a seguir alguns tipos de indústria e suas cargas, que provavelmente precisarão ter o frete cobrado por cubagem.

Ramo de alimentos

  • salgadinhos tipo Elma Chips;
  • biscoito de polvilho;
  • macarrão (alguns tipos).

Higiene pessoal

  • fraldas descartáveis;
  • absorvente feminino;
  • papel higiênico.

Embalagens

  • caixas de papelão;
  • plástico bolha;
  • caixas de isopor.

Indústria moveleira

  • armários;
  • mesas;
  • camas.

Mudanças

  • fogão;
  • lavadora de roupas;
  • colchão.

Construção civil

  • canos PVC;
  • caixilhos de portas;
  • forro PVC.

Entenda o fator de cubagem padrão

Se você tem uma frota de veículos na sua empresa, talvez não queira pegar um a um e descobrir qual é o fator de cubagem, não é mesmo? Até porque, teoricamente, a variação de cada veículo rodoviário não será muito grande.

Foi pensando nisso que a NTC decidiu estabelecer um valor padrão para cargas rodoviárias, definindo 300 kg por m³ como uma medida ótima de uso. Isso significa que, para cada metro cúbico de capacidade que o seu veículo apresenta, você consegue transportar 300 kg.

Vamos pegar o exemplo do caminhão trucado, que citamos acima no texto:

  • 46,87 m³ (capacidade em volume, do baú) x 300 kg (fator de cubagem) = 14.061 kg.

Veja que o resultado é muito parecido com a real capacidade do caminhão, que é de 14 toneladas.

Cargas fracionadas

No caso dos fretes fracionadosa densidade média é de 200 kg/m³. Isso acontece porque é muito difícil você conseguir organizar cargas variadas dentro de um mesmo carro, de uma forma que complete os espaços vazios.

Então, mesmo que as cargas fracionadas não sejam, necessariamente, volumosas, é quase impossível colocar 300kg por m³ nesta modalidade.

Cargas líquidas

No caso de cargas líquidas, os tanques devem ser dimensionados levando-se em conta a densidade real do produto, para que possam trafegar praticamente cheios.

Isso aumenta a estabilidade do veículo e dispensa a aplicação do fator de cubagem. No entanto, se o carro for usado para transportar uma carga de menor densidade, será necessário utilizar o fator de correção de cubagem.

Opcionalmente, pode ser negociada uma tarifa por viagem, cuja validade independerá da tonelagem transportada e da densidade da carga — ou ainda uma tarifa por m³, que resultará da divisão do custo por viagem pela capacidade volumétrica do veículo (e não pela capacidade em peso).

Conheça outros modais de transporte

Da mesma forma que foi feito com o transporte rodoviário, em outros modais também é calculado um fator padrão.

Porém, o fator de cubagem tem diferentes valores para outros modais, considerando que são equipamentos diferentes e com capacidades de carga e volumes também distintos.

  • Fator rodoviário: 1 m³ = 300 kg;
  • Fator aéreo: 1 m³ = 166,6667 kg;
  • Fator marítimo: 1 m³ = 1.000 kg.

Verifique a capacidade por tipo de veículo

Uma questão interessante é conhecer as capacidades por tipo de veículo. Esta informação pode ser bem importante na hora de atender um cliente ou mesmo de decidir qual veículo comprar.

Veja, então, por meio de categorias, quais são as capacidades em m³ e peso que os veículos podem transportar. É importante salientar que as medidas de carrocerias e baús podem variar bastante, porque a legislação só estabelece os limites máximos.

Os valores citados abaixo são apenas uma referência, logo, sugerimos fortemente que você se informe mais a respeito das medidas do veículo que está interessado.

Utilitários de até 1,8 toneladas

Fiat Fiorino

  • Altura: 1.360;
  • Largura: 1.000;
  • Profundidade: 1.350;
  • M³:  1.836;
  • Lotação (Kg): 600.

Renault Kangoo

  • Altura: 1.166;
  • Largura: 1.219;
  • Profundidade: 1.670;
  • M³: 2.373;
  • Lotação (Kg): 800.

VW Kombi

  • Altura: 1.200;
  • Largura: 1.400;
  • Profundidade: 2.000;
  • M³: 3.360;
  • Lotação (Kg): 1.000.

VUC – Kia Bongo

  • Altura: 2.200;
  • Largura: 1.800;
  • Profundidade: 3.000;
  • M³: 11.880;
  • Lotação (Kg): 1.530.

VUC – Renault Master

  • Altura: 1.700;
  • Largura: 1.750;
  • Profundidade: 2.600;
  • M³: 7.740;
  • Lotação (Kg): 1.600.

VUC – Hyundai HR

  • Altura: 2.200;
  • Largura: 1.800;
  • Profundidade: 3.000;
  • M³: 11.880;
  • Lotação (Kg): 1.800.

VUC – Sprinter

  • Altura: 1.650;
  • Largura: 1.700;
  • Profundidade: 3.400;
  • M³: 9.540;
  • Lotação (Kg): 1.800.

Caminhões entre 2 e 15 toneladas

Caminhão 3/4 (Baú)

  • Altura: 2.400;
  • Largura: 2.200;
  • Profundidade: 4.100;
  • M³: 21.648;
  • Lotação (Kg): 2.500.

Caminhão 3/4 (Aberto)

  • Altura: 1.500;
  • Largura: 2.200;
  • Profundidade: 4.100;
  • M³: 13.530;
  • Lotação (Kg): 3.000.

Caminhão Toco (Baú)

  • Altura: 2.400;
  • Largura: 2.200;
  • Profundidade: 6.900;
  • M³: 36.432;
  • Lotação (Kg): 5.000.

Caminhão Toco (Aberto)

  • Altura: 1.500;
  • Largura: 2.400;
  • Profundidade: 7.000;
  • M³: 25.200;
  • Lotação (Kg): 6.000.

Caminhão Trucado (Baú)

  • Altura: 2.500;
  • Largura: 2.500;
  • Profundidade: 7.500;
  • M³: 46.875;
  • Lotação (Kg): 8.000.

Caminhão Truck (Aberto)

  • Altura: 1.500;
  • Largura: 2.500;
  • Profundidade: 7.500;
  • M³: 28.125;
  • Lotação (Kg): 12.000.

Caminhão Caçamba

  • Altura: 1.000;
  • Largura: 2.300;
  • Profundidade: 5.000;
  • M³: 11.500;
  • Lotação (Kg): 13.000

Carretas

Carreta Carga seca

  • Altura: 1.500;
  • Largura: 2.600;
  • Profundidade: 12.400;
  • M³: 48.360;
  • Lotação (Kg): 30.000.

Carreta Graneleira

  • Altura: 1.800;
  • Largura: 2.450;
  • Profundidade: 12.500;
  • M³: 55.125;
  • Lotação (Kg): 20.000.

Carreta Baú

  • Altura: 3.000;
  • Largura: 2.500;
  • Profundidade: 12.000;
  • M³: 90.000;
  • Lotação (Kg): 29.000.

Carreta Sider

  • Altura: 4.100;
  • Largura: 2.500;
  • Profundidade: 14.800;
  • M³: 151.700;
  • Lotação (Kg): 33.000.

Container 20 pés

  • Altura: 2.390;
  • Largura: 2.350;
  • Profundidade: 5.900;
  • M³: 33.137;
  • Lotação (Kg): 21.000.

Container 40 pés

  • Altura: 2.390;
  • Largura: 2.352;
  • Profundidade: 12.030;
  • M³: 67.623;
  • Lotação (Kg): 27.000.

Conclusão da cubagem

Mesmo não sendo o fator mais importante do cálculo de fretes, é fundamental que você tenha ciência de que um erro como esse, na hora de transportar uma carga volumosa, pode custar o seu lucro.

Portanto, vamos recapitular o passo a passo que você precisa seguir para fazer o cálculo da cubagem:

  • tenha em mãos todos os dados sobre a carga a ser transportada, como quantidade de volumes, altura, largura e comprimento de cada um;
  • multiplique Altura x Largura x Comprimento x Número de Volumes x 300 (fator de cubagem);
  • se o resultado for menor que o peso efetivo da carga, então, desconsidere este cálculo e use o peso original para formar o seu preço de frete;
  • no entanto, se o resultado for maior que o peso efetivo da carga, considere o valor obtido como o novo peso, como base para formar o seu preço pelo transporte.

Esperamos que tenha entendido sobre os riscos de perder dinheiro com o fator de cubagem e como fazer o cálculo de cubagem rodoviário corretamente. Neste post foram abordados o conceito de cubagem, sua importância e interferência para o cálculo de fretes, bem como o seu funcionamento e em quais modais são aplicados.

Caso tenha ficado alguma dúvida, estamos à disposição para qualquer esclarecimento. Basta entrar em contato!

Esperamos por você!