Publicado em 12/01/ 2022

Como funciona uma transportadora: o melhor guia de 2022

De modo geral, mesmo quem não tem muito conhecimento sobre o assunto, entende – mesmo que por alto – o trabalho e a função de uma transportadora.

Mas sabia que os processos de uma empresa de transporte vão muito além da gestão das entregas para os clientes?

Além do mais, o transporte de cargas é um dos setores de maior relevância na economia brasileira. É a entrega de matérias-primas, insumos e produtos acabados que permitem que as relações comerciais se mantenham em pleno vapor.

Diariamente, milhares de caminhões percorrem milhares de quilômetros Brasil afora, para entregarem bilhões de reais em mercadorias.

Quer saber como funciona uma transportadora de carga e como elas fazem para prestar um serviço de qualidade?

Continua essa leitura, que temos muito assunto pela frente.

Tipos de transportadoras de cargas

Para começo de conversa, é importante frisar que não existe apenas um tipo de transportadora:

  1. Transportadora de cargas em geral: esse é o tipo de transportadora mais comum e que se encontra em maior número no país. Transporta produtos acabados ou matérias-primas, cargas fechadas ou fracionadas.
  1. Transportadora de cargas fracionadas (pode ter o link quando postado): é especializada em empresas que não tem quantidade suficiente de mercadorias para encher a carga de um caminhão. Por isso, divide o frete com outras empresas que têm essa mesma característica. Esse tipo de transportadora faz coleta em diversos contratantes, para fazer as entregas em destinos variados.
  1. Transportadora de cargas refrigeradas: esse tipo de transportadora é especializada em cargas perecíveis e congeladas. Elas requerem veículos preparados e específicos: caminhões baús refrigerados, que garantam a temperatura e, consequentemente, a qualidade dos produtos durante o transporte.
  1. Transportadora de cargas pesadas (pode ter o link quando postado): especialista em cargas unitárias, pesadas e indivisíveis, como maquinário pesado, asas de aviões e silos. Precisa de caminhões e equipamentos que suportem o peso e o nível de dificuldade desse tipo de transporte. Além disso, precisam de autorização especial para percorrerem os trajetos com as cargas pesadas.

Processos de uma transportadora de cargas

transportadora-de-cargas-processos

Quando a gente faz uma compra e recebe nosso produto em casa, nem imagina quantos processos foram necessários – tanto por parte da empresa contratante, quanto por parte da transportadora.

Muitos processos e organização são utilizados para que as entregas aconteçam de forma eficiente.

Quais são todos esses processos dentro de uma transportadora?

Vamos ver agora:

Manutenção

Esse processo está ligado ao cuidado com a frota. É essencial que haja essa manutenção com veículos e equipamentos para garantir o bom desempenho do trabalho, evitar riscos de acidentes, multas e retrabalhos.

Além de permitir uma melhor previsão de paradas de veículos para manutenções e seus respectivos gastos, também ajuda a prevenir atrasos nas entregas, avarias, perda de produtos e prejuízos.

Tudo reflete, diretamente, no cliente, que recebe os pedidos nas condições e prazos esperados.

Consolidação das cargas

Consiste na organização dos pedidos a serem entregues, levando em consideração a localização dos clientes. Essa etapa do processo tem o objetivo de aumentar a eficiência do trabalho, ao passo que aproveita da melhor forma possível a capacidade dos caminhões e também criando rotas otimizadas.

Planejamento de rotas

Essa etapa está bastante ligada à anterior e também tem o objetivo de otimizar as entregas. Aqui, se planejam as rotas de entrega.

Monitoramento das entregas

É nessa parte do processo que se acompanha os veículos durante as entregas. Dessa forma, é possível identificar situações que possam causar atrasos ou prejuízos. Em casos de imprevistos, o monitoramento das entregas permite a comunicação com os clientes.

Gerenciamento de riscos

Uma transportadora lida, diariamente, com produtos de outras pessoas. Retira o produto no contratante para entregar ao comprador – e é responsável por esses produtos.

O gerenciamento de riscos estabelece práticas que diminuem as chances de extravios, perdas, roubos ou avarias.

Profissionais envolvidos em uma transportadora de cargas

Para efetuar entregas sem avarias e dentro do prazo, além de todos os processos e da organização, também é preciso contar com o trabalho de muita gente.

A quantidade de pessoas e quais funções elas exercem varia bastante. Depende do tamanho da transportadora, da região de atuação e de que tipo de transporte ela realiza.

Ainda assim, é possível listar alguns profissionais essenciais nesse processo.

Mas afinal, quem são as pessoas essenciais para o bom andamento do trabalho?

  • Gerentes, coordenadores e supervisores trabalhando na gestão, no gerenciamento de toda a transportadora;
  • Analistas, pessoas que são a mão direita da gestão e ajudam no trabalho de gerenciamento;
  • Assistentes, pessoas que colocam a mão na massa, ligados a funções operacionais como, por exemplo, a emissão de notas fiscais e de boletos;
  • Auxiliares, também com função operacional ligada a atividades como separação e organização das cargas, e carregamento dos caminhões;
  • Pessoas responsáveis pela conferência das cargas;
  • E, por fim, e extremamente importantes, os motoristas. Profissionais treinados e preparados para conduzir os veículos e realizar as entregas de forma eficiente.

Cálculo de frete: como funciona?

O cálculo de frete é essencial tanto para garantir a saúde financeira da transportadora, como para chegar a um preço atrativo para os clientes.

Esse cálculo precisa considerar diversas variáveis, dentre elas, detalhes importantes e exclusivos de cada entrega.

Vamos detalhar esse assunto.

  • Existe risco de roubo na região da entrega?
  • Qual é a dificuldade do acesso?
  • Há restrições de veículos de carga no local?
  • Qual o tempo de permanência do veículo para descarga?
  • É necessária a utilização de pallets?
  • É preciso fazer a separação por SKU?
  • Há seguros obrigatórios? E facultativos?
  • Qual é o volume da carga?
  • Qual é o equipamento necessário para manuseio e descarga?
  • Exige equipe especializada para operação?
  • Quantas pessoas são necessárias?

Outros critérios de cálculo também são necessários:

Frete peso

Tem relação com quanto espaço a carga ocupa dentro do veículo, e também seu peso bruto: para o cálculo, é utilizado o que for maior entre os dois.

Isso porque, em alguns casos, os produtos podem ser muito grandes e ocupar muito espaço no caminhão, mas serem muito leves. Em outros casos, mercadorias muito pequenas podem ser bastante pesadas.

Frete valor ou Ad Valorem

É calculado de acordo com o valor da nota fiscal. É usado para cobrir custos para garantir a integridade da carga, cuidados especiais, manuseio, seguros especiais e outros fatores que podem encarecer o frete.

Distância percorrida

Aqui a lógica é simples: quanto mais longe o destino, maior o custo do frete.

Características da carga

Produtos perecíveis ou muito valiosos, por exemplo, exigem atenção especial. Nesses casos, o valor do frete é maior para cobrir os custos com embalagens, veículos especiais e seguros.

Destinatário

Nessa categoria, entram questões relacionadas à dificuldade na entrega, periculosidade ou dificuldade de acesso.

Tributos e pedágios

Por fim, o valor de frete também sofre a incidência dos tributos (ICMS, por exemplo) e dos pedágios cobrados na rota estabelecida.

Levando em consideração todos esses itens, é possível calcular um frete justo: bom para a transportadora, bom para quem vendeu o produto e bom para quem comprou.

Mas a verdade é a seguinte:

Os desafios de uma transportadora não param por aqui. Não basta gerenciar todos os processos e cobrar um valor que garanta a saúde financeira da empresa.

É mais do que isso.

Principais desafios de uma transportadora de cargas

transportadora-de-cargas-desafios

Um dos principais desafios de uma transportadora – assim como de qualquer outra empresa – é encontrar pessoas boas no que fazem e formar uma equipe capacitada.

Ter um grupo de pessoas capacitadas, que cumpram seu papel com eficiência, é essencial para que o resultado do trabalho da transportadora seja bom.

É preciso uma direção capaz de liderar; um setor comercial que atraia bons clientes; uma equipe operacional que desempenhe seu papel com o mínimo de erros; e é preciso contar com motoristas capacitados, experientes e adequados para entregarem os pedidos com assertividade.

Todas essas pessoas são responsáveis pela entrega de pedidos com qualidade e dentro do prazo.

Encontrar boas pessoas é um desafio. Mas esse desafio é, de certa forma, controlado.

O segundo problema que uma transportadora enfrenta é ainda mais delicado, porque não está nas suas mãos: a qualidade das estradas do Brasil.

A má qualidade de grande parte das rodovias brasileiras é, sem dúvida, um dos grandes entraves de qualquer empresas que dependem delas para o seu funcionamento: é exatamente o caso das transportadoras.

Falta de sinalização, buracos e más condições do asfalto e falta de pavimentação são apenas alguns dos fatores que resultam em percursos mais lentos, mais custos e riscos para motoristas, cargas e caminhões.

Segundo informações da Pesquisa CNT de Rodovias, de 2016, o custo operacional do transporte no Brasil aumentou 30,9% em 2021. A pesquisa também mostra que 73% das rodovias públicas apresentam irregularidades.

transportadora-condições-rodovias

Outro desafio das transportadoras também está relacionado às rodovias do Brasil: a segurança nas estradas. 

A falta de sinalização e as más condições das rodovias são fatores que favorecem a ocorrência de acidentes e de roubos.

Esses são problemas enfrentados por todas as transportadoras. De modo geral, uma empresa eficiente, que siga todos os processos e passa pelos mesmos problemas, acaba oferecendo o mesmo serviço, com a mesma qualidade, da maioria das outras empresas do ramo.

E o objetivo é sempre se diferenciar.

A escolha de um cliente entre uma transportadora ou outra, pode estar no detalhe:

É preciso ter um diferencial

Vamos falar sobre alguns pontos importantes, que podem fazer toda a diferença em uma transportadora.

Processos logísticos otimizados e funcionamento organizado, uso de tecnologias de rastreamento, documentações e autorizações em ordem. Pode parecer clichê, pode parecer básico.

Mas a verdade é que nem sempre as empresas fazem o arroz com feijão bem feito. Fazer com excelência o trabalho é um grande diferencial que uma transportadora pode oferecer.

Outro ponto que pode parecer muito básico, é o atendimento. Parece muito óbvio que o atendimento seja essencial para conquistar e manter clientes. Mas, novamente, na prática não é bem assim que funciona.

E não é tão simples prestar um bom atendimento. Não se trata apenas de ser cordial – mas isso também. Muito mais do que gentileza, um bom atendimento requer proatividade, apresentação de soluções rápidas e entregas pontuais.

Também não posso deixar de fora a resolução de problemas. Muito mais do que não permitir que problemas aconteçam – porque, muitas vezes, eles acontecem – é preciso resolver da melhor forma e o mais rápido possível.

Por fim, uma transportadora tem responsabilidade sobre produtos que pertencem a outras pessoas. Por isso, é imprescindível oferecer segurança e confiança.

Isso pode ser feito por meio de uma equipe bem treinada, veículos em bom estado de conservação, políticas de seguranças nos processos da empresa e seguros especiais para as cargas transportadas.

Conclusão

Transportadores de carga precisam fazer muito mais do que coletar um produto na origem e entregá-lo no destino. Ainda que o objetivo geral de uma transportadora seja justamente esse, coletar e entregar produtos, para que esse objetivo seja alcançado, o processo é longo.

Processos inteligentes, que garantam rotas otimizadas, cargas bem aproveitadas, preço justo e frota com a manutenção em dia.

Pessoas capacitadas, treinadas para prestar um serviço de qualidade – seja na hora de fazer a nota fiscal, seja na hora de entregar a última caixa.

Tudo isso precisa ser feito, apesar dos desafios da profissão que gira, principalmente, em torno da qualidade da malha rodoviária brasileira – e ela deixa a desejar muitas vezes.

Como se não bastasse tudo isso, ainda é preciso trabalhar duro para conquistar diferenciais relevantes para o cliente e, assim, se destacar diante dos concorrentes.

O transporte de cargas, no fim das contas, não é só entregar aquela caixa.

Agora, me conta aqui nos comentários, qual desses pontos você considera o mais importante na boa prestação de serviço de entregas?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este conteúdo
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no google
Google+
F-azul-transp.png

Seja um assinante Frete com Lucro e receba conteúdos exclusivos.