Publicado em 20/12/ 2021

Custos logísticos: O que são e como fazer a gestão?

Bons fornecedores, um time de colaboradores engajado e a oferta de um produto de alta qualidade nem sempre é garantia de um preço final ao cliente mais atrativo do que a concorrência. Se isso está acontecendo com você, gestor, há um vilão (ou alguns vilões) que pode estar sendo ignorado: os custos logísticos.

Só para você ter ideia do que estamos falando, de acordo com um relatório realizado pelo Instituto de Logística e Suplly Chain, o Panorama ILOS “Custos Logísticos no Brasil – 2017”, no âmbito das empresas, os gastos logísticos correspondem 7,6% da receita líquida.

É um percentual que choca, não é? Na pesquisa, em especial, esses custos logísticos estão relacionados ao transporte, estoque e armazenagem. Saber como trabalhar em cima dos custos, com boa gestão e aproveitamento, é essencial para o sucesso do negócio.

Neste guia, a nossa proposta é mostrar para você quais são os principais custos logísticos das empresas e como trabalhar com qualidade e eficiência sobre eles. Assim, será possível aproveitar melhor o seu tempo e, claro, gerar ganhos em produtividade.

Qual é a melhor definição para custos logísticos?

Primeiro, eu preciso dizer que custo logístico está longe de ser apenas o trajeto realizado por um produto da fábrica onde foi produzido até a casa do consumidor. O conceito vai um pouco além – mas também não é nada complexo.

Na verdade, o custo logístico é qualquer gasto que uma empresa teve da fabricação do produto até o momento em que ele chega ao cliente/consumidor final. Nessa linha do tempo, é claro, há muitos gastos envolvidos.

Custos logísticos com armazenagem

Custos logísticos com armazenagem

Nos processos de fabricação e transporte de mercadoria, o custo logístico com armazenagem – ou custo de estoque – envolve o local de armazenamento das cargas. Estamos falando aqui de gastos com galpões ou armazéns, alugados ou reservados para esse propósito.

O custo logístico com armazenagem entra em duas ocasiões: durante a produção do produto na empresa (inbound) e quando o produto já está finalizado (outbound).

Nesse tipo de custo, além do aluguel com galpões e armazéns – inevitável em alguns casos –, existem também os custos com paletes, caixas, matéria-prima, insumos, gastos com manutenção do espaço etc.

A falta de produto em estoque ou atraso no atendimento de demandas também é um problema, uma vez que são oportunidades perdidas. Além disso, os gastos com produtos perdidos, vencidos ou danificados também é contabilizado entre os custos logísticos.

O que fazer para reduzir custos com estoque?

Uma excelente maneira de você conseguir vencer alguns custos logísticos com armazenagem é adotar o sistema Just In Time, criado há mais de 50 anos pela Toyota. Trata-se de uma sistemática de gestão que se preocupa em ter os recursos de produção corretos, no local e momento certos.

A implementação do Just In Time visa eliminar situações que possam prejudicar qualquer etapa da cadeia: seja a etapa da entrada, do processamento ou da saída.

Torna-se possível, assim, manter os processos em contínua melhoria, com o alinhamento entre produção de produtos e demanda, combatendo os gastos desnecessários com um estoque mais enxuto, porém, mais eficiente.

Embora tenha sido criado há décadas, o sistema é uma necessidade mais atual do que nunca, e foi implantado por outras grandes marcas, como Zara e Natura – marcas que, certamente, puderam experimentar essas melhorias em custos logísticos.

Custos logísticos com embalagens

Os gastos de estoque com embalagens – caixas de papelão, caixas de plástico, caixas organizadoras, caixas de isopor etc. – também são considerados custos logísticos. Este é um custo importante que não deve ser negligenciado, uma vez que as embalagens são responsáveis por evitar produtos riscados, amassados ou avariados.

Assim, é preciso ter em mente que não se trata de um custo bobo. Pelo contrário, trata-se de um custo que, como outros, vale o investimento, afinal, todos nós sabemos o quão desagradável é ser surpreendido com um produto danificado.

Para entender a importância da embalagem, é só imaginar o quanto uma empresa pode diminuir de custos logísticos em relação a perdas e avarias de mercadorias.

E, além do bom acondicionamento das mercadorias, existe ainda um outro fator que vale ser mencionado: a redução de custos em relação à cubagem. Se a embalagem for compacta e bem projetada, ela evita espaços vazios no veículo de transporte.

O que fazer para diminuir os custos com embalagens?

Certo, você já entendeu que o investimento em embalagens é importante. Mas será que é possível reduzir esse custo logístico? Sim, é totalmente possível.

Padronize tamanhos das embalagens

Embalagens padronizadas – sejam elas paletizadas ou não – ocupam menos espaço e ajudam na organização. Evite ter um estoque com muitas opções de tamanhos para escolher, porque isso gera improdutividade.

Se for possível, conte também com caixas com regulagem de altura. Elas possibilitam o ajuste para atender a produtos de diferentes tamanhos.

Realize o controle do estoque

É necessário cuidar para que não aconteça ruptura no estoque de embalagens, é claro. Mas, ao mesmo tempo, é importante evitar a acumulação de embalagens guardadas – que acabam ocupando espaço de forma desnecessária.

Neste caso, a redução de custos logísticos está mais relacionada a evitar espaços improdutivos.

Custos logísticos com recursos humanos

Para começar, sem o setor de recursos humanos em uma empresa, nem mesmo seria possível reduzir os custos logísticos. A propósito, estamos falando agora de um setor que justamente tem um papel ativo nesse assunto.

O setor de recursos humanos em uma empresa deve receber frequente investimento, incentivo e valorização, uma vez que é o ponto-chave para a manutenção da produtividade e competividade do negócio.

A importância do setor se dá nas burocracias às quais ele está envolvido, como em questões de admissão, demissão, controle de jornada de trabalho de colaboradores etc.

Hoje, algumas atividades realizadas pelos recursos humanos já foram automatizadas – o que gerou, também, a necessidade de novas tecnologias e atualizações.

Como reduzir custos com recursos humanos?

Um time de RH treinado e entendido sobre as necessidades da empresa garante a análise continua dos custos para manter um colaborador no time de funcionários.

Trata-se de uma avaliação que busca alocar corretamente os recursos, sem que as pessoas sejam prejudicadas no processo. Além disso, há também as questões trabalhistas, para as quais o RH deve estar atento para evitar processos judiciais.

Mas – de novo – é necessário que o time de RH esteja devidamente alinhado às expectativas da empresa. Assim, atuando com eficiência, garante a produtividade dos demais setores e, finalmente e consequentemente, a redução de custos.

Custos logísticos com ferramentas tecnológicas

Custos logísticos com tecnologia

O custo com ferramentas tecnológicas é mais um tipo de custo logístico indispensável no ramo da logística e transporte de cargas.

As ferramentas tecnológicas são responsáveis por oferecer planejamento e otimização de processos. Assim, além de também reduzirem riscos das atividades, aumentam os níveis de produtividade das operações.

As ferramentas tecnológicas incluídas nos custos logísticos são várias, mas aqui vamos tratar de duas delas – talvez, as principais.

Custos logísticos com roteirização

O roteirizador é responsável por planejar e organizar as viagens, tornando-as mais eficientes. A roteirização determina as melhores rotas a serem seguidas em um serviço de transporte, levando em conta uma série de variáveis que, por um humano, seriam impossíveis serem calculadas.

Trata-se, enfim, de adquirir ainda mais controle da frota. A seguir, você vai entender melhor as vantagens que esse controle tem a oferecer em relação à redução de custos logísticos.

Como reduzir custos com roteirização?

Então, já sabemos que softwares de roteirização ajudam você a ganhar mais controle da frota. Na prática, esse controle ajuda a economizar tempo e, consequentemente, dinheiro.

Isso acontece porque o roteirizador consegue identificar a estrada em melhor estado de conservação para a viagem. Além disso, ele consegue estabelecer também o menor percurso e identificar postos de pedágio, bloqueios e postos de fiscalização.

No fim do dia, ao evitar muitas paradas desnecessárias, mesmo as viagens mais simples fluem melhor, gerando economia de combustível e do tempo do motorista.

Ainda, em operações mais complexas, o roteirizador ajuda a reduzir os custos logísticos. Imagine que, no meio da viagem, o embarcador precisou que mais uma coleta fosse realizada. Com a ferramenta de roteirização na sede da transportadora, fica mais fácil recalcular o processo.

Custos logísticos com rastreamento de frotas

O rastreamento de frotas surgiu da insegurança nas estradas, com o roubo e furto de cargas sendo uma das maiores preocupações. Para contornar e inibir essas ações criminosas, o rastreamento utiliza a rede de GPS e coleta informações detalhadas, que geram relatórios e alertas.

Tratam-se de indicadores que ajudam a corrigir e implementar novas ações nas operações logísticas, que visam dar mais segurança e aumentar a produtividade nas atividades de transporte.

Como diminuir custos com o rastreamento de frotas?

O monitoramento e rastreamento contínuos de frotas, no longo prazo, fornecem subsídios para que uma atividade de transporte seja cada vez mais produtiva e segura.

Com essas ações, o rastreador de frotas mitiga os riscos de roubos ou furtos de cargas – o que também ajuda a tornar menores os custos com seguro, uma vez que ele reduz o risco de sinistralidade. Além disso, a empresa também pode acompanhar as práticas de dirigibilidade adotadas pelo motorista.

Desse modo, ela consegue avaliar se as práticas estão alinhadas ao procedimento combinado em relação à rota traçada e, assim, garantir significativa redução dos custos logísticos.

Continue acompanhando e conheça mais custos logísticos, agora relacionados ao transporte. Tratam-se de custos que também podem ser reduzidos com as tecnologias que acabamos de abordar e, portanto, estão atrelados um ao outro.

Custos logísticos relacionados ao transporte

No trajeto entre a fábrica e o consumidor final, há muitos custos logísticos de transporte envolvidos. Na conta das viagens, entram os gastos com combustível, salários, manutenção do veículo, pedágio, custo com a gestão de sistemas etc.

Além disso, existem também os eventuais sinistros de roubos e acidentes, e esses custos logísticos – ou a economia gerada neles, por meio de um seguro de carga eficiente – sempre devem ser colocados na ponta do lápis.

Para falar dos custos logísticos do transporte, vamos focar em dois deles que são muito importantes e podem ser a chave para a frota ter mais economia e produtividade.

Custos com combustível

Custos logísticos com combustível

De acordo com o Índice de Preços Ticket Log (IPTL), o aumento do preço do diesel foi de 23% no primeiro semestre do ano de 2021. Com um aumento tão significativo, motorista e transportadora têm papel fundamental na redução de custos logísticos com combustível.

Sobre o uso de tecnologias para reduzir esses custos, nós já comentamos. Agora, primeiro vamos falar sobre boas práticas que podem e devem ser adotadas pelo profissional que coloca as mãos no volante!

  • Não usar o ponto morto: Além de oferecer risco e ser uma infração média, no longo prazo, pode trazer prejuízos mecânicos para o veículo;
  • Fazer a troca de marcha no momento certo: É preciso que o motorista conheça bem o caminhão que está conduzindo para que, além de otimizar o gasto com combustível, possa manter a saúde mecânica do veículo;
  • Dirigir em velocidade média: Ao transitar em velocidade média, o motorista ajuda a evitar o risco de acidentes e multas e economiza combustível, minimizando o impacto do alto custo do diesel.

E, conforme já adiantamos, a transportadora também tem o seu papel na economia de custos logísticos com combustível. Confira ações a serem adotadas:

  • Escolher bons postos de combustível: Realize pesquisas de custos nos postos e desconfie de preços muito abaixo;
  • Buscar rotas eficientes: Aqui, além da ajuda que pode ser oferecida pelas soluções tecnológicas, é possível contar também com aplicativos gratuitos;
  • Controlar o peso das cargas: Além de evitar custos com multas, trata-se de uma segurança na condução, uma vez que o excesso de peso pode exigir muito da suspensão, pneus e motor do veículo;
  • Calibrar os pneus frequentemente: Pneus sem calibração adequada podem exigir mais força do motor. Então, é importante calibrar antes de cada viagem;
  • Manter a manutenção da frota em dia: Com a manutenção em dia (com verificação frequente de fluidos, filtros, alinhamento e outras revisões), a performance do veículo melhora e custos logísticos com combustível são minimizados.

Vamos nos aprofundar um pouco mais sobre este último, relacionado aos custos logísticos com manutenção do veículo. Continue acompanhando!

Como reduzir custos com manutenção do veículo?

Depois do combustível, talvez o outro custo logístico mais lembrado é o custo com manutenção do veículo. Neste tópico, vamos falar especificamente da manutenção preventiva, que pode livrar você e sua empresa de várias dores de cabeça.

A manutenção preventiva é uma política de gestão baseada em ações que reduzem o risco de problemas acontecerem. Esta série de rotinas adotadas pela transportadora aumentam o nível de performance da frota e, consequentemente, reduzem gastos.

Sugestão de checklist para a manutenção preventiva:

  • Verificar a carga da bateria;
  • Conferir o estado de freios;
  • Verificar estado de pneus e fazer a calibração;
  • Fazer alinhamento e balanceamento das rodas;
  • Verificar a filtragem de químicos no escapamento;
  • Conferir consumo demasiado de combustível;
  • Conferir amortecedores e molas;
  • Verificar frequentemente o nível do óleo do motor e freios;
  • Verificar água do radiador;
  • Conferir ruídos impróprios no motor e câmbio.

Custos logísticos com pedágio

O custo logístico com tarifas de pedágio está, certamente, entre as grandes reclamações dos profissionais do setor de transportes. A reclamação se dá, sobretudo, pelas condições das rodovias do país, que complicam o trabalho eficiente.

E não há exagero na reclamação: o estado do Paraná, por exemplo, mais de uma vez já esteve entre os locais com pedágio mais caros do mundo.

Pensando nisso tudo, vamos às soluções para a redução deste custo logístico presente no dia a dia dos transportadores!

Como reduzir custos com pedágio?

Primeiramente, realize a pesquisa da rota e analise as alternativas. Novamente, aqui entra a importância de softwares como a roteirização, que conseguem identificar a opção mais econômica para a viagem.

Em segundo lugar, experimente o pagamento automático com tags e cartões. Esta ação promove economia de tempo para o motorista, que não precisa ficar esperando em filas nas praças de pedágio.

Além disso, o pagamento automático favorece a gestão financeira da empresa, porque a tecnologia traz facilidade para o controle de gastos. Outra vantagem do pagamento automático de pedágio é que as empresas oferecem descontos e benefícios.

Custos logísticos com seguro de carga

Pense aqui comigo: você seria capaz de cobrir os custos de uma carga perdida durante um serviço de transporte? Certamente, não, certo?

O seguro de carga se trata de um item indispensável, que nenhum embarcador ou transportadora deve abrir mão. Trata-se da garantia de que, em caso de danos ou perdas, haverá indenização por parte de uma seguradora para que suas operações continuem.

O investimento em seguros deve sempre ser feito. E, para melhor comodidade para você, existem maneiras de gerar economia na sua contratação.

Como reduzir custos com seguro de carga?

Para reduzir custos logísticos com seguro de carga, primeiro você precisa trabalhar com o gerenciamento de risco, uma ferramenta de segurança.

O GRIS é um item indispensável na contratação do RCF-DC, por exemplo, que é um seguro para o desaparecimento de cargas. Ele é importante porque torna mais segura a emissão de apólice por parte da seguradora, uma vez que, com essa proteção, os riscos de sinistro são reduzidos.

Mas não é só isso. Como nós sabemos que o seu tempo e a sua carga valem muito, também acreditamos que a escolha de uma corretora digital de seguros é o que você precisa para sobrar mais tempo e você focar nos seus negócios.

Para isso, a Mutuus Seguros é a melhor solução. Você reduz o custo de seu seguro de carga em até 67%, em uma consultoria totalmente gratuita com um especialista. Além disso, a cotação e contratação do seguro acontece 100% online.

Custos logísticos: como implantar uma política na empresa?

Gestão de custos logísticos

Não adianta implantar uma política para a gestão de custos logísticos se não houver contínua participação do time de colaboradores e acompanhamento dos resultados.

Então, nós recomendamos que você elabore um documento com todos os aspectos importantes para serem normatizados. No documento, por exemplo, você pode colocar “manutenção”, “custo de combustível”, “monitoramento” e “capacitação”.

Esta sugestão deve funcionar como um roteiro, para que a política seja colocada em prática por toda a equipe e essa realidade seja respirada e vivida no cotidiano.

Esse roteiro precisa estabelecer regras claras e transparentes, com o registro de obrigações e comportamentos esperados. E a política precisa ser frequentemente citada no dia a dia, para que seja disseminada entre toda a empresa e torne-se parte de sua cultura.

Além disso, a política precisa sofrer atualizações, para que se mantenha atualizada e alinhada ao dinamismo do mercado.

Quais os benefícios da gestão de custos logísticos?

Como eu comentei lá no início, nem sempre um excelente time de colaboradores proativo e um excelente produto vão gerar custos menores ao cliente. Os custos logísticos impactam, dessa forma, toda uma cadeia de consumidores.

Mas esse impacto acontece não apenas em relação aos custos reduzidos, mas também na experiência do cliente, durante todo o processo, até o momento em que o produto chega em suas mãos.

Sim, trata-se de um grande desafio. Mas, se a redução dos custos logísticos acontecer sem comprometer o nível de qualidade do serviço prestado, a empresa ganha dois ativos importante: fortalecimento e resiliência.

Esses ativos ajudam no enfrentamento de problemas e manutenção das atividades, quando a tendência do mercado for de ficar fragilizado, por diferentes razões.

E aí, vamos colocar em prática estas sugestões para ter mais eficiência e minimizar os custos logísticos? Antes, comente ali embaixo qual é o principal desafio que você tem na sua gestão!

Guilherme Bitencourt

Guilherme Bitencourt

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe este conteúdo
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
F-azul-transp.png

Seja um assinante Frete com Lucro e receba conteúdos exclusivos.